"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Entenda a diferença entre Recycling, Downcycling e Upcycling

O processo de Recycling (reciclagem), em sua definição mais estrita, é a recuperação dos materiais do artigo X e a produção de outro artigo X a partir deste, ou seja, recupera-se um material e este torna-se matéria-prima do mesmo produto que fazia parte. Temos por exemplo, o caso da reciclagem de óleo do motor de veículos, este pode ser filtrado e destilado para se criar óleo de motor novo com a mesma qualidade. O óleo não se desgasta e não perde suas características básicas com o uso, ele somente fica sujo.
O processo de Downcycling existe quando se recupera um material para reuso em um produto com menor valor, ou seja, a integridade do material é de certa forma comprometido com o processo de recuperação e isto significa que ele não pode ser usado novamente para se fabricar o produto original.
Em um mundo perfeito, a garrafa plástica poderia ser facilmente reciclada em outra garrafa plástica ou algo de mesmo valor. No caso dos plásticos com a resina PET, isso pode ser feito, como também acontece com as latas de alumínio e as garrafas de vidro.
Mas algumas resinas plásticas, como a HDPE, comumente usadas como matéria-prima de embalagens primárias, de leite, iogurte, sucos e garrafas de água não podem ser verdadeiramente recicladas, ou seja, o resultado de sua recuperação não pode ser usada novamente como embalagens de produtos alimentícios. Inclusive este fato está disposto em legislação específica da Anvisa.
Estas resinas são frequentemente downcycled em coisas como mesas, cadeiras, lixeiras e requerem tratamento extra em termos de energia e dos produtos químicos que compõem as resinas. Para estes plásticos resistentes serem criados é necessário um grande montante de embalagens plásticas no processo de recuperação.
Adicionalmente, a resina HDPE, pode ser misturada com outros tipos de resina plástica que a transforma em outro tipo de produto, considerada o extremo dos tipos de resina. Considerando que este produto esgotou sua utilidade, seu próximo destino será, provavelmente, a destinação final. Outro exemplo de material que não pode ser reciclado e sim downcycled é o papel. O papel para escrita de boa qualidade não pode ser reciclado em papel do mesmo tipo, com as mesmas características, ele é então downcycled em papéis para fotocópia, papel cartão e papel higiênico.
Já o conceito de Upcycling é, como podemos deduzir, um processo de recuperação que converte materiais desperdiçados/resíduos em novos materiais ou produtos com maior e/ou melhor qualidade e valor ambiental. Um exemplo bem conhecido é a utilização de lona de caminhões usadas na fabricação de roupas, bolsas, chapéus, bonés e outros artigos com alto valor agregado.
Portanto, recycling (reciclagem), downcycling e upcycling não são sinônimos ou termos novos que surgem com a “moda da preocupação ambiental”. Há diferenças essenciais que devem ser levadas em conta: Enquanto o primeiro processo permite que o resíduo recuperado se transforme em matéria-prima que pode ser utilizada no processo de produção do artigo que o gerou; o segundo processo de recuperação transforma o resíduo em matéria-prima de menor valor, que não pode ser utilizada no processo produtivo do produto que o gerou e sim, em produtos secundários; no que se refere ao terceiro processo, pode ser considerado o ideal de um processo de recuperação de resíduos, pois transforma os resíduos gerados em matéria-prima ou produto com melhor qualidade e valor do que o produto que o gerou.
É importante lembrar que a reciclagem pode requerer energia em seu processo, além de que alguns materiais podem requerer mais energia e processos químicos do que outros, produzindo artigos com menor valor ambiental.
Uma forma de evitar o downcycling é tomar decisões de compra mais conscientes, por exemplo, digamos que no momento da compra eu saiba que a embalagem do produto X é feita da resina plástica PET e a embalagem do produto Y é feita com a resina HDPE, considerando que ambos os produtos são idênticos em termos de qualidade e características básicas, o produto X seria a melhor opção, pois sua embalagem será mais facilmente recuperada.
Mas é claro, não podemos com isso, justificar o consumo exagerado de itens com embalagens com maior valor ambiental, devemos sempre lembrar dos
“3R” – Reduza, reuse e recicle.
Então, agora que você já sabe a diferença entre estes três conceitos e o valor que cada um gera, em termos ambientais, vamos evitar o downcycling e nos tornar cada vez mais adeptos do upcycling.

Por: Patricia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário