"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Obsolescência Planejada - Estratégia que alimenta o ciclo "Comprar - Descartar - Comprar"

Encontrei no blog "O único Planeta que temos"  um excelente documentário que trata da obsolescência programada,  estratégia utilizada por muitas empresas para nos induzir a consumir mais e mais e, consequentemente, descartar também muito mais resíduos no meio ambiente. 
Antigamente, no década de 90, quando houve o "boom da Internet" um computador tinha uma vida útil de aproximadamente 10 anos ou mais, pois era possível repará-lo, quando houvesse algum problema, adicionar mais memória, etc. Atualmente, um computador tem uma vida útil de no máximo 3 anos, quando não menos e quando há qualquer problema, por menor que seja, não encontramos peças para repará-lo e estender sua vida útil. 
Conforme citado no blog "O único planeta que temos", baterias que "morrem" com apenas 18 meses de uso, impressoras que bloqueiam ao alcançar um determinado número de impressões, lâmpadasque se fundem ao atingir mil horas… 
Porque é que será que, apesar dos avanços tecnológicos, os produtos de consumo tendem a durar cada vez menos?
A meu ver e de acordo com o documentário isso faz parte do ciclo "comprar-descartar-comprar", que é meticulosamente planejado para incentivar cada vez mais o nosso consumo de bens "duráveis" ou melhor,  "não-duráveis", o que por sua vez, aumenta cada vez mais a necessidade do estabelecimento de canais reversos para o retorno desses bens. 
O documentário "Comprar, descartar, comprar"  foi  filmado na Catalunha, França, Alemanha, EUA e Gana, e faz uma viagem através da história de uma prática empresarial que consiste na redução deliberada da vida útil de um produto para incrementar o seu consumo pois, como foi publicado em 1928 numa revista de publicidade dos EUA, "um produto que não se gasta é uma tragédia para os negócios".
O documentário foi dirigido por Cosima Dannoritzer e co-produzido pela TVE espanhola, e  é o resultado de três anos de pesquisa. Fazendo uso de imagens de arquivo pouco conhecidas, fornece provas documentadas e mostra as desastrosas consequências ambientais provocadas por esta prática. Apresenta ainda vários exemplos do espírito de resistência que está a crescer entre os consumidores e a análise e opinião de economistas, designers e intelectuais que propõem alternativas para salvar a economia e o ambiente.
Através da história da obsolescência programada, o documentário descreve o percurso da economia nos últimos cem anos e mostra um fato interessante: a mudança de atitude dos consumidores, através do uso das redes sociais e da Internet. Os casos dos irmãos Neistat, do programador de computador Vitaly Kiselev e do catalão Marcos López demonstram isto.
Este comportamento causa diversos impactos ambientais e sociais, como pode ser percebido no documentário países como China, Gana, Índia e diversos outros países africanos estão se tornando a "lixeira eletrônica" dos países desenvolvidos, como Europa e Estados Unidos da América. 
Há algum tempo atrás postei aqui no blog sobre este assunto, citando o caso da cidade de Guiyu na China (Confiram a postagem clicando aqui), que possui 5.000 empresas que trabalham com a reciclagem de lixo eletrônico, a desmontagem dos eletrônicos por sua vez, é feita sem qualquer segurança por idosos, crianças e pessoas das demais faixas etárias, as quais não são treinadas para isso e recebem no máximo, U$60 dólares por mês, o que é considerado um excelente salário, desta forma esta cidade está sofrendo diversos impactos ambientais, tornando-se um lugar inabitável. Casos como esse, ocorrem devido a estes países não possuírem legislações restritivas no que tange a resíduos eletrônicos e a consequência disso, é o trabalho infantil, despejos de resíduos tóxicos em rios, solo e locais inapropriados, o que causa doenças como o câncer e vários tipos de intoxicações, além da degradação ambiental.
O documentário mostra que periodicamente, centenas de contentores chegam cheios de resíduos com o rótulo de “materiais de segunda mão”, similar aos containers com lixo que vieram para o Brasil já por diversas vezes, vindos da Europa com o rótulo "Material reciclável".
Além da denúncia, o documentário dá visibilidade aos empresários que implementam novos modelos de negócios e ouve as alternativas propostas, como por exemplo a de Serge Latouche, que fala sobre a importância de se empreender a revolução do “decrescimento”, ou seja, a redução do consumo e da produção de forma a economizar tempo e desenvolver outras formas de riqueza, como a amizade ou o conhecimento, que não se esgotam ao serem usados.

 VALE MUITO A PENA ASSISTIR - CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTIR NO YOUTUBE


Por: Patricia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade adaptado do Blog  "O único planeta que temos"

Nenhum comentário:

Postar um comentário